CIRURGIA DE NARIZ

Cirurgia Plástica Landecker

A Recuperação

Cirurgia Plástica Landecker

Pacientes submetidos à rinoplastia devem permanecer em repouso absoluto por 5-7 dias, mantendo a cabeça sempre elevada. Durante os primeiros dias, recomendamos alimentos frios e de consistência pastosa para facilitar a mastigação. O curativo é normalmente removido após 7 dias, podendo ser necessário utilizar um curativo de esparadrapo por mais 1 semana.

A análise do resultado final requer paciência, já que a reabsorção do inchaço é especialmente lenta nesta região. Alguns resultados parecem excelentes após 1-2 meses, enquanto outros necessitam de mais tempo para a cicatrização completa. Em geral, o resultado final pode ser apreciado somente após 1-3 anos. Inclusive, recomendamos a aplicação de compressas geladas e a realização de fisioterapia para acelerar a cicatrização dos tecidos e o desaparecimento das manchas roxas que podem aparecer ao redor dos olhos.

Assim como em qualquer cirurgia plástica, a proteção do sol é fundamental durante os primeiros meses para evitar o aumento do inchaço e o aparecimento de manchas na pele. As atividades físicas podem ser retomadas após 3-4 semanas, sendo que qualquer modalidade com risco de traumatismo nasal deve ser evitada por 2 meses.

Infelizmente, a aparência final do nariz operado só pode ser analisada 1-3 anos após a cirurgia, devido à lenta reabsorção do inchaço. Porém, cerca de 75% deste inchaço já terá sido reabsorvido após 3-4 meses e o paciente já pode ter uma boa idéia do resultado neste momento. O paciente deve evitar ficar se olhando no espelho durante as primeiras semanas, tentando analisar as minúcias do seu nariz. Como haverá uma certa deformação devido ao inchaço, o paciente estará gerando ansiedade para si mesmo por estar analisando uma imagem transitória!

Os pontos na columela são retirados após 5-7 dias. Não é necessário retirar os pontos ao longo da incisão por dentro do nariz, pois os fios geralmente utilizados neste local são absorvíveis.

O nariz torto após a retirada do curativo pode acontecer em 3 situações:

  • 1. Deformação pelo inchaço.
  • 2. O nariz já era torto e a cirurgia não retificou o mesmo.
  • 3. O nariz era reto e ficou torto devido a algum erro durante a cirurgia, resposta imprevisível do corpo e/ou a colocação errada do curativo.

Portanto, o médico responsável deve ser contactado imediatamente, pois há uma série de exercícios que, se realizados durante os primeiros meses após a cirurgia, podem ajudar a retificar o nariz. Estes são extremamente úteis em casos onde a deformação é devido ao inchaço.

Se o quadro for causado pelos ítens 2 e 3 acima, a reoperação após pelo menos 1 ano pode ser o tratamento indicado.

O desconforto após a cirurgia é geralmente mínimo, principalmente devido à utilização dos splints que permitem a respiração normal do paciente imediatamente após a cirurgia. A utilização de anti-inflamatórios potentes após a cirurgia pode eliminar a dor completamente na grande maioria dos casos.

Existe um músculo circular em volta da boca chamado “orbicular da boca”. Este músculo, que é responsável por grande parte dos movimentos orais, possui dois prolongamentos (um de cada lado) que se inserem no septo do nariz, na região da ponta do nariz. Estes prolongamentos musculares se chamam “depressores do septo”. Toda vez que existe um movimento intenso da boca, como ao sorrir, os depressores são puxados pela ação do músculo orbicular e a ponta do nariz tende a cair e o lábio superior fica encurtado durante o movimento. Se os depressores forem tratados, o resultado é um alongamento do lábio superior e a interrupção da aplicação de forças depressoras sobre a ponta. Portanto, é normal o lábio ficar meio paralisado. Inclusive, pela gravidade, há um acúmulo de inchaço no local que também contribui para isso.

De qualquer forma, os movimentos do lábio superior costumam voltar ao normal dentro de algumas semanas após a cirurgia!

Isto pode ocorrer devido aos seguintes fatores:

  • 1. O inchaço no local acaba obstruindo os canais de drenagem, o que atrasa a reabsorção das manchas roxas.
  • 2. Muitos pacientes possuem uma tendência genética a ter as olheiras e/ou uma drenagem mais lenta, o que contribui para uma piora do quadro.
  • 3. Alguns pacientes tomam sol após a cirurgia, o que acaba “fixando” o pigmento do sangue na pele.

Alguns médicos sugerem as seguintes providências:

  • 1. Muita paciência!
  • 2. Alguns cremes com base de Vitamina K podem apresentar bons resultados.
  • 3. Drenagem linfática com um fisioterapeuta/esteticista recomendado pelo seu médico.
  • 4. Se as manchas permanecerem, o tratamento com laser é bastante eficaz! Mas este deve ser o último recurso.
  • 5. Evitar o sol a todo custo por 2 meses e proteger-se com filtros solares/chapéus etc. por mais 6 meses.

O inchaço na parte interna do nariz diminui o calibre das vias aéreas e consequentemente a passagem de ar. Felizmente, isto melhora bastante após 2-4 semanas. Qualquer obstrução da via aérea após 1 mês da cirurgia não pode ser creditada ao inchaço.

A sensibilidade costuma retornar após alguns meses. Mas isto pode demorar 1-2 anos.

A sufusão hemorrágica na conjuntiva ocular geralmente ocorre em pacientes submetidos a fraturas nos ossos nasais, pois podem ocorrer sangramentos no momento/após a fratura que acabam se espalhando para a região dos olhos. Em geral estas manchas desaparecem e não é necessário fazer nenhum tratamento específico (embora o paciente deva se proteger do sol). Porém, o único inconveniente é que isso pode demorar entre 2-4 semanas.

As chances de hemorragia durante/após uma rinoplastia são maiores quando os seguintes procedimentos são realizados: fraturas que deixam o nariz torto, tratamento dos cornetos, septoplastia. Se estes não forem realizados, o risco é bem menor mas ainda existe.

Pacientes submetidos à rinoplastia passam por duas fases de recuperação. A primeira é a reabsorção do inchaço inicial, cuja velocidade é variável e depende de fatores como cirurgias prévias, quantidade de fibrose, etc. Em pacientes com pele fina, o inchaço melhora após alguns meses. Em pacientes com pele espessa na ponta (principalmente homens), o tempo de reabsorção do inchaço pode ser de 1-3 anos.

Após a reabsorção do inchaço inicial, o processo de cicatrização secundário continua. Aqui, a camada de fibrose que se forma em cima das cartilagens gradualmente se contrai ao longo do tempo, durante o restante da vida. Por isso, muitos pacientes dizem que seus narizes continuam a mudar até anos após a cirurgia. Pacientes com pele grossa sofrem menos alterações do que pacientes de pele média e fina. Alguns pacientes com pele grossa notarão que o seu nariz estabilizou-se com o tempo, sofrendo alterações mínimas após a resolução do inchaço inicial.

A ocorrência de quelóides no nariz é extremamente rara, principalmente se a cirurgia for executada corretamente.

O sol pode ser prejudicial nos primeiros 2 meses pelos seguintes motivos:

  • 1. O calor gerado pelos raios pode acabar piorando o inchaço do nariz, que estará mais intenso nos primeiros 2 meses após a cirurgia.
  • 2. As manchas roxas consistem de sangue que se espalhou pelos tecidos da pele. Estas manchas possuem hemoglobina, que é um pigmento sanguíneo e que gradualmente é removido pelo corpo após a cirurgia, num processo que pode demorar algumas semanas. O sol pode acabar fixando este pigmento na pele, gerando manchas que podem ser difíceis de remover. Um exemplo é a piora das olheiras.

A fibrose é um outro nome para o tecido de cicatrização que sempre se forma entre as cartilagens do nariz e a pele após a cirurgia. Em condições ideais ela se forma e não atrapalha o resultado. Porém, em alguns casos pode haver proliferação excessiva gerando alterações de contorno e/ou distorções das cartilagens. Existe uma predisposição genética e pessoas com pele grossa são especialmente predispostas, mas muitos acreditam que o principal motivo disto acontecer é a execução inadequada da cirurgia. Alguns motivos: reduzir demais o esqueleto, deixando a pele sem suporte e permitindo o acúmulo de sangue entre a pele e as cartilagens após a cirurgia; execução incorreta do curativo; etc.

Infelizmente sim, mas existem manobras técnicas que podem ajudar a evitar que isto aconteça. Em geral, muitos especialistas acreditam numa boa chance de melhora se a cirurgia for executada corretamente.

A fibrose pode ser atenuada utilizando injeções de Triancinolona, desde que isto seja feito durante as primeiras semanas/meses após a cirurgia (ie. antes da fibrose se formar e se consolidar ao redor do esqueleto do nariz). Em casos onde a fibrose já se instalou, somente a cirurgia pode ser capaz de retirá-la.

Há alguns anos, o cirurgião turco Onur Erol apresentou resultados favoráveis em termos de redução do inchaço após a cirurgia, da injeção de pequenas quantidades de um potente anti-inflamatório chamado Triancinolona (misturado com os outros componentes da anestesia local) no nariz momentos antes da cirurgia. Este medicamento, que possui forte ação apenas no local da injeção, pode fazer com que haja muito menos inchaço após a cirurgia, melhorando significativamente o conforto e o tempo de recuperação. Lembramos que esta técnica deve ser realizada somente por especialistas, pois o uso inadequado da Triancinolona pode gerar graves e irreversíveis seqüelas como a atrofia, aparecimento de teleangiectasias e afinamento da pele.